Educação ambiental crítica, sustentabilidade e justiça social na bacia do rio Teles Pires

Clique no Nome para Conhecer o Integrante: Erika Germanos e Lucélia Nobre Carvalho

Resumo
A maioria dos grandes grupos de pesquisa do mundo tendem a criar ações de extensão e educação ambiental com a finalidade de oferecer restituição de resultados para a sociedade civil em forma de palestras, jogos e materiais didáticos, livros, folhetos, filmes, sites mídia, social, etc. No entanto, o grande desafio está na transição do saber ao fazer para construir ferramentas de empoderamento visando preservação ambiental, sustentabilidade e justiça social. Esse projeto tem como objetivo principal promover a integração dos saberes locais não-formais, engajando as diversas populações ás margens do rio Teles, e os saberes científcos formais para aproximar efetivamente a academia da sociedade gerando ações socioambientais positivas. Primeiro em âmbito local/territorial para criar uma nova cultura da relação do homem com a terra visando como próximos passos as ações globais de preservação e sustentabilidade. Esse processo de transformação social por sua natureza dialógica e dialética possui foco acentuado na ação-aprendizagem, pois aproxima e integra os diversos saberes conectando-os as ações positivas discutidas pela população local para solução dos problemas socio-ambientais regionais revelados ao longo do processo como desmatamento, contaminantes ambientais, hidreletricas, sobre-pesca. Dessa forma, a transição do saber ao fazer valorizando os saberes das populações loais do rio Teles, de forma justa e equitativa, promoverá em última instância justiça social. Recentes pesquisas mostram que a ação é fundamental para a aprendizagem pois prevê a integração do saber a solução dos conflitos socioambientais. O engajamento social e a integração entre comunidades locais e a Universidade Federal do Mato Grosso é fator chave necessário para a população aprender as habilidades que levam ao enfrentamento dos desafios da preservação ambiental e sustentabilidade.

Abstract
The world's large research groups tend to create extension actions and return results to civil society through lectures, games and teaching materials, books, films, websites, social media, etc. However, the great challenge lies in the transition from knowing to building empowerment tools for environmental preservation, sustainability and social justice. This project's main objective is to promote the integration of non-formal local knowledge, engaging the different populations of the Teles River, and formal scientific knowledge to effectively bring academia closer to society, generating positive socio-environmental actions. First, at the local/territorial level, to create a new culture of man's relationship with the land, aiming at global preservation and sustainability actions as the next steps. This process of social transformation, due to its dialogical and dialectical nature, has a strong focus on action-learning, as it brings together and integrates the various knowledges, connecting them to the positive actions discussed by the local population to solve the regional socio-environmental problems revealed throughout the process as deforestation, environmental contaminants, hydropower, overfishing. In this way, the transition from knowledge to doing, valuing the knowledge of the local populations of the Teles River, in a fair and equitable way, will ultimately promote social justice. Recent research shows that action is fundamental for learning because it provides for integrating knowledge and solving socio-environmental conflicts. Social engagement and integration between local communities and the Federal University of Mato Grosso is a key factor necessary for the population to learn the skills that lead to facing the challenges of environmental preservation and sustainability.